NONO DIA


Hoje, traze-Me as almas t√≠bias e mergulha-as no abismo da Minha miseric√≥rdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o Meu Cora√ß√£o. Foi da alma t√≠bia que a Minha alma sentiu repugn√Ęncia no Jardim das Oliveiras. Elas levaram-Me a dizer: Pai, afasta de Mim este c√°lice, se assim for a Vossa vontade. Para elas, a √ļltima t√°bua de salva√ß√£o √© recorrer √† Minha miseric√≥rdia.

√ď compassivo Jesus, que sois a pr√≥pria compaix√£o, trago √† mans√£o do Vosso compassivo Cora√ß√£o as almas t√≠bias; que se aque√ßam no fogo do Vosso amor puro estas almas geladas que, semelhantes a cad√°veres, Vos enchem de tanta repugn√Ęncia. √ď Jesus, muito compassivo, usai a onipot√™ncia da Vossa miseric√≥rdia e atra√≠-as at√© o fogo do Vosso amor e concedei-lhes o amor santo, porque V√≥s tudo podeis.

Eterno Pai, olhai com Vossa misericórdia para as almas tíbias e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Pai de Misericórdia, suplico-Vos pela amargura da Paixão de Vosso Filho e por Sua agonia de três horas na Cruz, permiti que também elas glorifiquem o abismo da Vossa misericórdia... Amém.